Refrigerante “zero açúcar” é mais saudável? 

 Confira as diferenças dessa opção em relação às versões tradicionais    

by Voz Comunicação

Os refrigerantes sem adição de açúcar, popularmente conhecidos como “zero”, estão ganhando cada vez mais espaço no mercado, à medida em que os consumidores buscam opções menos prejudiciais à saúde sem ter que renunciar ao sabor das bebidas gaseificadas. Diante da crescente preocupação com hábitos alimentares e o aumento das taxas de obesidade e diabetes, essas bebidas têm se destacado como escolhas atraentes para aqueles que almejam diminuir a ingestão de açúcares e calorias. Mas será que esses produtos devem ser consumidos livremente, mesmo que sejam livres de açúcar? Quais são as diferenças em relação aos refrigerantes tradicionais?

 

A nutricionista e professora do curso de Nutrição da Wyden, Bárbara Soares de Assis, explica que a diferença principal entre os refrigerantes tradicionais e os zero está na presença de açúcar. “Os refrigerantes ‘zero’ utilizam adoçantes artificiais para oferecer o sabor doce. Em função disso, eles podem apresentar diferenças sutis no sabor, na composição de ingredientes e geralmente possuem menos calorias do que os tradicionais”, enumera.

 

EQUILÍBRIO 

 

A nutricionista destaca a necessidade de equilíbrio no consumo de refrigerantes, mesmo na versão sem açúcar. Ela também ressalta a importância do acompanhamento regular de um profissional de saúde, que vai avaliar a quantidade adequada de refrigerantes e se realmente é seguro incluí-los em sua dieta. “Isso porque, embora possam ser uma opção com menos calorias e açúcar, os refrigerantes zero ainda contêm adoçantes artificiais e outros ingredientes que podem impactar na saúde”, orienta a especialista.

 

Bárbara frisa, ainda, que não é correto afirmar que os refrigerantes sem açúcar são mais saudáveis. “O consumo excessivo de adoçantes artificiais também pode ter efeitos negativos, como o aumento das chances de desenvolver câncer, diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares, problemas dentários e ósseos em geral, uma vez que a bebida prejudica o cálcio dos nossos ossos, favorecendo a osteoporose. Por isso, a atenção e o equilíbrio na dieta são essenciais, priorizando o consumo de água e outras opções mais saudáveis”, comenta a especialista.

 

E, para finalizar, é importante lembrar que o refrigerante não contém muitos nutrientes. Além disso, o problema não passa apenas pelo açúcar; em qualquer versão, a bebida possui uma quantidade elevada de sódio. O sódio em excesso prejudica a circulação sanguínea e causa retenção de líquidos. “Por isso, a recomendação é que tanto a versão tradicional quanto a ‘zero’ sejam consumidas na menor quantidade possível”, conclui.

 

Related Posts

Leave a Comment