População deve ficar alerta contra fraudes neste fim de ano

by Voz Comunicação

Com a chegada do fim de ano, época que impulsiona as compras no varejo e eleva o consumo em geral, a população deve ficar em alerta, pois há um crescimento no número de fraudes e golpes. Para proteger os consumidores, a advogada especialista em privacidade e proteção de dados e propriedade intelectual, Maria Wanick traz informações para a população se prevenir e não ter prejuízo.

De acordo com Maria Wanick, do escritório Escobar Advocacia, o último trimestre do ano – com momentos comerciais tão fortes e próximos, como Dia das Crianças, Black Friday, Cyber Monday, recebimento do 13º salário e as festas de fim de ano – propicia um aumento na movimentação financeira, tornando-se um terreno fértil para golpistas. “A orientação de forma educativa é o melhor caminho para a população se proteger e evitar cair em armadilhas”.

A principal dica para evitar golpes é desconfiar de mensagens suspeitas. “Isso vale tanto para as mensagens de números desconhecidos ou até de números de pessoas conhecidas, pedindo dinheiro ou oferecendo investimentos”, cita Maria. A advogada orienta os consumidores a verificarem as informações que receberem através do canal oficial do banco, ou estabelecimento envolvido, antes de tomar qualquer providência. Além disso, ela destaca a importância de entrar em contato com a operadora do celular e com a Anatel, caso haja suspeita de bloqueio ou sequestro da linha.

Uma dica que muitas pessoas não fazem é de ativar, em seus aparelhos de celular, a autenticação em dois fatores em redes sociais e aplicativos de mensagens, a exemplo do WhatsApp, como medida adicional de segurança. “Nem sempre as pessoas possuem o hábito de fazer essa ativação, que já dificulta o acesso aos seus dados, e invasões aos aplicativos”, ensina a advogada.

Um levantamento recente realizado pela TIC Domicílios 2023 mostra que 84% da população brasileira (ou seja, 156 milhões de pessoas) possui acesso à internet. Diante desse cenário, é crucial que a população esteja informada e adote medidas preventivas para garantir um fim de ano seguro e livre de fraudes. “Através de medidas preventivas e sabendo as orientações para cada situação, podemos fortalecer esse ambiente e curtir esse período de festividade sem prejuízos”, afirma Maria.

Principais golpes e dicas de segurança

O uso crescente de serviços digitais, como bancários, de entrega, redes sociais, entre outros, facilita o dia a dia, mas também abre espaço para golpes online. Entre os mais comuns estão o sequestro da linha, obtenção de dados de celular roubado, chamadas falsas (spoofing), golpe da falsa central de atendimento, furto de contas em redes sociais e aplicativos, e o golpe do WhatsApp falso.

A advogada Maria Wanick aconselha que nunca se forneçam informações pessoais, dados bancários ou senhas por meio de ligações suspeitas ou mensagens. A recomendação, nesses casos, é que as pessoas ignorem ou desliguem a ligação até confirmar a veracidade com a instituição ou pessoa envolvida.

Proteção para crianças e adolescentes

A atenção em relação às fraudes e golpes também vale para quem tem crianças e adolescentes com acesso à internet em casa. Se, por um lado, a internet oferece oportunidades de aprendizado e diversão para crianças e adolescentes, por outro traz riscos quando acessada sem cuidados ou supervisão.

Para ajudar pais, educadores e jovens a navegar com segurança e responsabilidade, a União Internacional de Telecomunicações (UIT) desenvolveu as Diretrizes sobre Proteção Online de Crianças (COP). Essas diretrizes abrangem temas como privacidade, cyberbullying, conteúdo inadequado, exploração sexual, radicalização e desinformação, e podem ser acessadas nos canais oficiais da UIT.

Related Posts

Leave a Comment